Depois da ressaca do Réveillon e da folia do Carnaval, 2015 começou oficialmente no Brasil. É hora de parar um pouco para refletir sobre o que aconteceu no ano passado e calibrar as expectativas para o mercado cervejeiro em 2015, que já começou com tudo.

Tendo surgido em 2004 como site, e evoluído para uma rede de lojas de cervejas – passando por dezenas de eventos, workshops, consultorias, viagens cervejeiras, e curso de sommelieria –, temos no Mestre-Cervejeiro.com uma posição privilegiada de contato com profissionais e entusiastas da cerveja atuando em diversas áreas. Isso nos permite conhecer diferentes pontos de vista sobre o mercado.

Relatos e percepções têm grande importância, porém, não bastam. Opiniões são muitas vezes conflitantes, e sempre condicionadas por perspectivas políticas, ideológicas e psicológicas. São necessários, portanto, dados brutos. Lentamente, vemos surgindo no Brasil, apesar da notória dificuldade em obter dados confiáveis sobre o mercado cervejeiro, algumas iniciativas que ajudam a clarear esta névoa de informações.

Confira abaixo alguns dos desafios que o mercado cervejeiro enfrentará em 2015.

Previsões para o mercado cervejeiro em 2015


O ritmo de crescimento vai diminuir, mas está longe de parar


mercado-cervejeiro-em-2015-crescO mercado cervejeiro não dá sinais de que vai parar de crescer a um ritmo elevado, porém, certamente haverá uma desaceleração. Enquanto o crescimento dos últimos anos tem sido estimado por especialistas em torno de 40% ao ano, a previsão para 2015 é de aproximadamente 30%.

É a já prevista crise econômica de 2015 mostrando suas garras, que, para os profissionais do ramo e apreciadores da bebida, vai se agravar com o aumento nos impostos que deverá vir em Maio. Já sabe no que isso vai dar, não sabe? É, cervejeiros e cervejeiras, infelizmente…


A cerveja vai ficar mais cara


mercado-cervejeiro-em-2015-cerveja-mais-caraAssim como todos os outros produtos! E não é só por causa dos impostos. O preço do combustível já subiu, aumentando custos de transporte. Fatores climáticos (e políticos) começam a comprometer a geração de energia, aumentando seu custo e consequentemente pressionando a indústria, que há tempos já não vai bem das pernas. E muito embora o enfraquecimento do Real favoreça a exportação, os produtores de cerveja artesanal – que dependem muito de insumos importados – sairão na pior.

Com este cenário econômico desfavorável e a previsão de declínio geral no consumo e aumento de dívidas nas famílias, é mais que provável que os fabricantes se preocupem com a capacidade do público em absorver rótulos mais caros. Apesar disso…


A criatividade nas receitas vai continuar


mercado-cervejeiro-em-2015-criatividadeO consumidor brasileiro já deixou bem claro que é apaixonado por APAs, IPAs, e cervejas lupuladas em geral, particularmente as da Escola Americana. Estas cervejas vão continuar sendo muito consumidas, bem como as cervejas de trigo alemãs que servem de porta de entrada para novos cervejeiros e cervejeiras. Mas vamos ver cada vez mais receitas diferentes e criativas, como demonstra a recente explosão de Saisons e Sour Beers, que continua firme, bem como cervejas envelhecidas em barril.

Além daquilo que ele já conhece, o consumidor quer ver novidades. E à medida que ele vai conhecendo mais sobre cervejas, os fabricantes percebem a possibilidade de brincar mais com estilos menos conhecidos (vai uma Grodziskie?) e ingredientes exóticos. E isso é ótimo – para quem trabalha com seriedade, é claro. Por que…


Vai começar a seleção natural no mercado


mercado-cervejeiro-em-2015-selecaonaturalÀ medida que o mercado e os consumidores vão amadurecendo, a qualidade começa a ser mais importante que apenas a novidade. Isso vale tanto para a produção quanto para o serviço! Investidores querendo surfar a “onda” das cervejas artesanais, vendedores descompromissados, garçons e garçonetes sem treinamento propagando informações errôneas… todos terão que se adaptar ou perecer.

Quanto mais consumidores entram em contato e exploram a Cultura da Cerveja, maior a necessidade de profissionais realmente qualificados para atendê-los. Quanto mais profissionais qualificados e consumidores conscientes, maior a necessidade de estrutura – legislativa, tributária, regulamentadora, produtiva. Por isso…


A cerveja artesanal buscará maior representatividade política


mercado-cervejeiro-em-2015-representatividadeEsta busca já começou em 2014, com os esforços dos cervejeiros, principalmente, na aproximação com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (o famoso MAPA), com os objetivos de agilizar o registro e permitir maior criatividade nas receitas. Um exemplo é que a legislação atual não permite o uso de mel, leite ou chocolate em receitas de cerveja. Qualquer fórmula que fuja da clássica combinação água + malte + lúpulo + levedura fica sujeita à longos períodos de análise até ser liberada pelo órgão regulador.

Além desta aproximação, a Associação Brasileira das Microcervejarias (Abracerva) tentou junto ao governo obter melhores condições tributárias para o segmento na minirreforma da tributação do setor de bebidas. A polêmica mudança tributária foi comemorada por alguns e lamentada por muitos. O que nos leva ao último ponto…


Os membros do setor precisam se unir


mercado-cervejeiro-em-2015-uniaoEste último ponto é mais um desejo – expresso por diversos profissionais do meio cervejeiro em suas retrospectivas de 2014 na enquete anual idealizada pelo jornalista Roberto Fonseca – do que uma previsão, e é reiterado por toda a equipe Mestre-Cervejeiro.com.

Estamos chegando a uma encruzilhada. De um lado, o distanciamento dos “grandes” produtores artesanais de seus colegas de menor porte. Do outro, a união de todos os membros do setor em busca do fortalecimento de toda a cadeia – do produtor de insumos ao consumidor, passando pelas fábricas, distribuidoras e pontos de venda.

Vamos caminhar juntos em busca do fortalecimento e propagação da verdadeira Cultura da Cerveja!


E aí, o que você acha que vai acontecer no mercado cervejeiro em 2015? Vamos continuar a conversa nos comentários!

9 Comments

  1. Adriano Biancolini

    Irretocáveis os apontamentos! Apenas para acrescentar, talvez com o maior amadurecimento de parte do público, haja uma volta às origens. Afastado o frisson das receitas exóticas e extremas, muitos vão querer reencontrar boas cervejas pilsen, weiss e wit, por exemplo. Será necessário que as cervejarias ofereçam o “simples” com qualidade.

    1. Verdade, Adriano! Inclusive vemos que isto está acontecendo nos EUA, depois das ondas de cervejas extremas, sours, resgates de estilos históricos e ingredientes exóticos. Hoje o que está bombando lá são as versões Session de estilos tradicionais. Quem sabe o mesmo aconteça em breve por aqui. Valeu, abs!

  2. Vinicius Fernandes Martini

    Parabéns pelo post. Muito bem analisado e concordo em gênero, número e grau. Todas as camadas tem de se unir.

  3. Considero o fator união primordial para o fortalecimento das cervejarias. Uma vez ao mês ou a cada dois meses deveria acontecer alguma reunião das cervejarias locais. Posteriormente, após discussões e análises, haveria uma reunião nacional. Nem precisaria ser em um único lugar físico (uma no ano é suficiente), poderia ocorrer via videoconferência. Ok, ok, isso seria em um mundo perfeito, mas se não tentar nada acontecerá.

    1. Sem dúvida encontros regulares entre as cervejarias seriam muito benéficos Luciano, inclusive neste último Festival da Cerveja em Blumenau rolou uma assembleia da Abracerva. Por que você acha que não deveria ter a presença da Abracerva? Não acha que traria ainda mais desunião? Abs!

      1. Pedro, foi com base em tudo o que andei lendo que fiz este comentário. Percebi que a Abracerva não tem o mesmo empenho na defesa dos interesses das cervejarias artesanais como faz com as grandes cervejarias (corrige-me se estiver enganado).

        1. Entendi Luciano! Na minha opinião ainda é cedo para avaliar uma tendência nas atividades da Abracerva. Teremos que acompanhar os próximos capítulos, visto que ainda estão se estruturando. Valeu!

Post your comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.